Primeiro dia do Festival FUSING Culture Experience – 1 de Agosto

Texto: João Madeira
Fotografia: Afonso Bastos

Às 18h45 do dia 1 de Agosto de 2013 procedeu-se à abertura das portas deste que vai ser um Festival que junta diferentes formas de cultura, entre elas a música, a arte, o desporto e a gastronomia. Em simultâneo com a entrada das primeiras pessoas no recinto já se ouviam os primeiros acordes, no palco EXPERIENCE, da banda Johnny Dead Radio. Este é um grupo musical proveniente da Figueira da Foz, que colocou os primeiros festivaleiros a balançar. Logo de seguida, às sete e meia, e já com uma adesão considerável, subiram ao palco The Glockenwise, quarteto musical de Barcelos, que muito interagiram com o ainda fraco público, em termos numéricos.

Glockenwise

Glockenwise2

Às 21h15m, Noiserv subiu ao palco FUSING. Apresentando-se como uma one-man band, manuseou dezenas de instrumentos musicais, desde o teclado ao xilofone. Com todo este aparato musical transportou o público até ao seu interior, às suas vivências quotidianas e aos pensamentos que de lá advêm. Ainda esta semana, no blog do Hey Indie, poderás ler uma pequena entrevista fornecida pelo David Santos, em que este conversa sobre de onde vem a inspiração das suas músicas, concedendo também uma pequena elucidação do seu mais recente disco de originais, que será editado em Outubro deste ano.

Noiserv

Este Festival para além do seu recinto principal tem ainda um palco no Casino da Figueira, estando a curadoria a cargo da Música Portuguesa a Gostar dela Própria. Este é um projecto português criado em 2011, que enfatiza o trabalho de diversas formações musicais, desde o Rock até ao Fado, passando pelo Jazz e pela música tradicional. No primeiro dia Pensão Flor abriu as honras deste palco, espaço este que celebra os novos projectos musicais produzidos em Portugal. Em concerto, apresentam-se num cenário que invoca o hall de entrada de uma pensão, entre monólogos revivalistas do seu velho recepcionista. Sete elementos levaram o público a viverem diversas histórias de amores e desenganos; seguindo várias tendências musicais, o Fado e o Tango Argentino são as mais vincadas em termos auditivos.

pensao flor

Voltando ao recinto principal do Festival, mais concretamente ao palco FUSING, encontravam-se os We Trust, banda natural de Coimbra. Com um público muito maior em termos numéricos face ao início da tarde, a interacção banda-audiência foi constante. Quase no fim deste concerto “We are the Ones” ecoou por todo o recinto, música que fará parte do seu mais recente LP, com lançamento previsto para Setembro de 2013. Pelo que deu a entender, a sonoridade ficará um pouco abalada pela falta das guitarras, sendo estas substituídas por um toque de música electrónica. Era expectável e assim aconteceu: “Better not Stop”, primeiro single do álbum These New Countries de 2011, foi a música que encerrou da melhor forma este concerto, colocando a pequena multidão a vibrar.

wetrust

Com o início da madrugada deste primeiro dia de Festival os PAUS entraram no palco FUSING. Com a combinação, de forma genial, das batidas da já famosa bateria siamesa com o acréscimo dos sons possuídos que surgem através dos sintetizadores, “abraçaram” o público e fizeram com que este fosse o melhor concerto do dia, deste Festival que dedica cem por cento do seu cartaz a bandas portuguesas.

paus1

paus2

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s